Acesse meu outro blog ->

Acesse meu outro blog --> Pensamentos e Fragmentos

sexta-feira, 7 de maio de 2010

Hamlet - Shakespeare

Hamlet é considerada uma das obras primas de Shakespeare, imortalizada pelo seu caráter dramático e trágico e pela magnífica representação do "espírito do seu tempo". A peça se passa na Dinamarca, no século XVII. O enredo se trata dos conflitos em que o Príncipe Hamlet enfrenta com a  morte de seu pai, o Rei Hamlet, que posteriormente ele descobre que foi assassinado pelo seu tio, irmão do seu pai. O Rei aparece sob a forma de um fantásma e revela a verdade para Hamlet ,que a pedido do seu pai jura vingança ao seu tio, que além de assumir o trono desposou sua mãe, a Rainha. 

Muito além de apenas um peça dramática e trágica, Hamlet é a expressão mais profunda do "Zeitgeist", termo alemão que remete a "espírito do tempo", que revela muitas das angústias do seu tempo, do Renascimento. O "Renascimento" é transição da Idade Média para um novo tempo em que diversas mudanças antinômicas acontecem, como surgimento da idéia de liberdade, a subjetividade, a perda do poder do Clero e principalmente  que Deus deixa de ser o centro do mundo e de determinar o todo, e o homem passa a ser o centro do mundo e livre para se determinar. A crença em Deus não deixa de existir, mas Deus é enviado para o céu e na terra fica apenas o homem e seu livre-arbítrio.Se Deus não determina mais o devir e nem é o centro do mundo, isso passa a ser tarefa do homem, determinar a si mesmo e definir toda escala de valores - o Bem e o Mal. Toda essa liberdade gera angústias, dúvidas, incertezas. 

Na obra Hamlet fica evidente o conflito de valores, a angústia, dúvida e hesitação ao agir e o que fazer  - "Ser ou não Ser, eis a questão!". E também a inauguração dos monólogos, os diálogos consigo mesmo, o processo de interiorização e introspecção que não existia na idade média e passa a ser uma das características marcantes do Renascimento até a Modernidade nos dias de hoje.


Referencias bibliográficas:

Hamlet - Shakespeare
A Construção do Eu na Modernidade da Renascença ao século XIX - Pedro Luiz Ribeiro Santi


Alan Silva

3 comentários:

Richard Mathenhauer disse...

Alan,

Das obras de Shakespeare, "Hamlet" é a minha favorita. A Mona Lisa da Literatura, como citaria Harold Bloom, com seus monólogos e sua ironia, sua inteligência e sua obsessão. Da morte do pai, da disputa pelo poder, do adultério, do amor não correspondido, da loucura, da guerra, da angústia, da morte e seus mistérios... que sobra no fim? Hamlet nos diz: the rest is silence!

Abraços,

Goliardos disse...

HAMLET, realmente é uma obra excelente. Gosto muito! òtimo Post.

Gostaria de saber uma coisa: é verdade que o filme da disney "o rei leão " foi baseado de longe na História de Hamlet?

se puder me responder agradeço. abraços

Alan Silva disse...

Goliardos

Não tenho conhecimento sobre isso, aliás nunca tinha ouvido falar antes disso.

Abraço